quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Especial - Tudo que você precisa saber sobre Azeite de Oliva


Não canso de repetir que a escolha de um bom azeite faz toda a diferença no sabor da comida. Podemos arruinar ou salvar uma receita dependendo da escolha do azeite. Pensando nisso, eu e meu marido resolvemos consolidar todas as informações que temos e preparar este post com basicamente TUDO que você precisa saber a respeito.

Vamos lá?
 





O azeite de oliva é um item essencial na cozinha contemporânea, de origem mediterrânea, presente em grande parte das receitas. Exclusivamente produzido a partir da azeitona, fruto das oliveiras, tem produção mundial de aproximadamente 2'765 milhões de toneladas, sendo 81% proveniente da União Européia e tendo a Espanha como líder (39%), seguida da Itália (21%) e Grécia (14%).
 
Curiosamente o Brasil não produz azeite de oliva, apesar de estar entre os 10 maiores consumidores mundiais (32.000 toneladas ao ano) - o que equivale ao consumo Japonês e vai além do que consomem Canadá ou Austrália.
 
São necessários em média 5 a 6Kg (aproximadamente 6'000 a 8'000) de azeitonas para produzir 1 litro de azeite, que possui propriedades interessantes e muito saudáveis:


- reduz o LDL (mau colesterol) do organismo, devido a sua grande quantidade de gordura monoinsaturada.
- reduz o risco de infarto ou AVC com a redução de placas nas paredes dos vasos sanguíneos.
- previne oxidações biológicas porque é rico em polifenóis.
- reduz a formação de radicais livres, muito nocivos à saúde e responsáveis pelo envelhecimento, e doenças como o câncer.
- favorece a eliminação de toxinas, ajuda na saúde celular e tem efeitos anticarcinogênicos devido a presença de hidrocarbonetos.

A produção do azeite se dá a partir de métodos mecânicos com pressão variada e controle de temperatura. Classifica-se o azeite conforme as suas características organolépticas (sabor e aroma), analíticas (acidez e outros dados químicos) e pelo processo extrativo, sendo dividido em 3 tipos:


AZEITE EXTRA VIRGEM
O melhor de todos - Obtido através da extração por processo de prensagem mecânica das azeitonas. Com aroma e sabor impecável, apresenta menos de 0.8% de acidez. O órgão regulamentador é o Conselho Oleícola Internacional, responsável por analisar e classificar. Os melhores geralmente são prensados a frio e provenientes da primeira prensa.

AZEITE VIRGEM
O processo de extração é o mesmo do Extra Virgem, mas tem maior acidez, entre 0.9 e 1.6%, com sabor e aroma marcantes.

AZEITE PURO
Produzido pela refinação do azeite virgem de pior qualidade, com alta acidez inicial (acima de 3%) e incidência de defeitos (sabor e aroma desagradáveis) a serem eliminados na refinação. Pode ser misturado com o azeite virgem. Apresenta em geral menos de 1,5% de acidez quando pronto para comercialização.


Uma dica interessante para consumo é o azeite perfumado, que pode ser facilmente feito em casa adicionando temperos junto ao azeite. Ideal que seja em um recipiente já com dosador, pronto para servir. Gosto muito de colocar manjericão e alecrim frescos, mas outras variaçoes com alho, pimenta, cheiro verde e outros podem agradar a diferentes paladares.





Para os mais aventureiros na cozinha, a versão abaixo mostra-se prática para receitas com requinte, pois conta com ingredientes de primeira qualidade: Azeite Extra Virgem + temperos frescos. Basta adicioná-los em uma forminha de gelo e congelar, adicionando os cubinhos na panela a cada receita.